sábado, 24 de novembro de 2012

Saudade


A saudade é um rio
Que me inunda e me encharca
Me molha por dentro
Me seca por fora
Tua falta é a minha erosão

Quero ser terra em chuva fina
Encontro entre serras
Para te reter e não seres mais rio
Te quero poço profundo de mim! 

sábado, 10 de novembro de 2012

Prospecções II

Vai cair a temperatura
Na rua na sua na minha janela

O vapor da terra consome
O horizonte na minha janela

A tristeza já tem o seu nome
Escrevi com na minha janela

E notei escorrer pelo vidro
Uma lágrima assinando

- Foi ela

Prospecções

Tic
Banho. Roupa. Perfume.

Tac
Carro. Bar. Ela.

Tic
Do tempo ninguém passa impune.

Tac
Nem duma língua tagarela.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Regresso

As paisagens se mexem com os ventos
Se pintam de estações

                                       (Policromia)

As serras são moças deitadas de 
                       [peitos e bundas]
Quinas para o ar.

O vento bolina o corpopaisagem
Arrepiando dos pés à cabeça
A Terra,
                                       - Menina -

Até hoje ensina
Com o cheiro do corpo
O caminha da volta.

Dia do poeta

Ele pensou que era noite
                        Se fez noite
Ele imaginou que era dia
                        Se fez dia

Brincava de mexer no sol e na lua

Tinha mania de grandeza

Desde criança
A vizinha dizia:

- Esse menino!
- Esse menino,
Vai findar fazendo
                          Poesia