domingo, 17 de junho de 2012

Soberba


   Tua sobra me falta
Me invade de desejo
me supre de ausência
Quero a tua alma
Soberba e sobrante
de tudo que me preenche
Quero a tua alma a balançar
na caminhada e sentir
o teu calor a me sugar em teu mar
Morena da cor-do-sol, sal meu.
Mendigo
as tuas sobras, meu mal!

Nenhum comentário:

Postar um comentário